My mind is telling me yes

but my body, my body is telling me NOOOOOOO-oooooh!

So one comes back from holidays, after 1 (short) week, 2 massages, a birthday, a vulcano trekking and swimming in the ocean… to be bloody slapped by this great deal of jet lag.
I swear on my life that I’ve never ever been through something like this! And I thought so, when I went to Miami or Delhi. But nope. On Monday I woke up at 3:30AM – 10:30AM in Bali (normally we would wake up around that time). How do you fall asleep after that? When your brain is super awake but your body is dead. How do you get any work done with blurry vision and feeling nauseous?
As if the holiday blues are not enough, I have to deal with this.
Yesterday I’ve started to handle it slightly better (woke up at 5AM, yay!), and today I think the jet lag is finally leaving my body (6:20AM waking up time).
I have so much to share! So stay tuned, and I promise you I will not take a year and a half to talk about Bali ❤
Hope you all have a wonderful week.

A pessoa volta de férias, depois de 1 (curta) semana, 2 massagens, um aniversário, uma escalada de um vulcão, e nadar no oceano…para ser bofeteada com uma porrada de jet lag.
Juro, pessoas, que nunca antes passei por uma coisa igual! E eu achava que sim, quando estive em Miami ou em Delhi. Mas não. Na segunda-feira acordei exactamente às 3:30AM – em Bali eram 10:30AM (a pessoa quando está de férias só acorda antes das 10AM se tiver que ser). E depois dorme? E trabalha com um cabeção que vai daqui até à lua?
É que já não bastava a tristeza pós-férias/regresso ao trabalho, ainda tinha que aturar isto.
Ontem a coisa começou a correr melhor (acordei às 5AM, yay!) e hoje já estou nos trinques (6:20AM a hora do despertar).
Eu voltarei com tanto, mas tanto para partilhar! Fiquem por aí que eu prometo que não vou levar mais um ano e meio a escrever sobre Bali. ❤
Uma óptima semana para todos.
youre-jet-lagged-from-your-holiday-life-must-be-so-hard

Advertisements

Fresh face

Screen Shot 2018-03-15 at 7.45.30 pm
Hoje saí de casa sem maquilhagem. Não é, na minha opinião, o meu melhor look.
Cresci a ser super feminina e vaidosa, vendo sempre a minha mãe a aplicar maquilhagem e tornar-se miraculosamente linda e perfeita. Na escola levei na cabeça uma ou duas vezes, por professores, porque estava a usar maquilhagem.
Só quando me mudei para Londres é que comecei a habituar-me a ir de cara lavada ao supermercado, ao fim-de-semana. Sem maquilhagem não sou eu.
Cada vez mais tenho saído à rua só com creme hidratante para passear – o que deixa o namorado feliz. Não que ele tenha algum problema em eu usar maquilhagem mas diz-me sempre que eu devia deixar a minha pele respirar mais vezes.
Eu não estou habituada a ir trabalhar sem maquilhagem. Aconteceu hoje, porque me esqueci da porcaria da bolsinha das maravilhas em casa. Por momentos (durante uma hora e tal) senti que o meu dia estava completamente arruinado e fiquei de rastos. Senti uma vontade extrema de voltar atrás, ir a casa e trazer a minha make-up, mesmo que isso fizesse com que eu chegasse meia hora atrasada (ridículo, eu sei). Para além de me sentir feia, ainda me senti enraivecida pelo meu esquecimento.
Depois desta saga de pensamentos de caca que me ocorreram, apercebi-me – e culpo o yoga – ‘pó caraças, quem quer saber se eu não tenho maquilhagem? Eu sou mais do que um batom e um blush, sou um ser humano que merece ser valorizado e estou feliz com a minha vida, pelo que só pode ser um bom look!’. Ao mesmo tempo a minha mãe enviou-me uma mensagem a dizer “Não te preocupes, usa o teu melhor sorriso e estás linda!”
Na semana passada comecei a praticar yoga de novo e desde então comecei a olhar para a vida com outros olhos, a ter pensamentos mais positivos. Não vou deixar que as coisinhas pequeninas me estraguem o dia, se elas não são um big deal.
Eu sou bonita como sou, sou uma criatura maravilhosa e o meu sorriso é muito mais do que um blush, corrector de olheiras ou um batom da Chanel. E tu também.
Todos vós.
PS- Obrigada à minha bff que me tentou acalmar! 🙂


Today I left home without any make-up. Not a good look, if you ask me.
I’ve grown up being super feminine and vain, always watching my mum applying make-up and looking miraculously beautiful and flawless. In high school I was told off once or twice, by teachers,  because I had make-up on.
It was only until I moved to London that I was able to leave home without make-up to go shopping for groceries over the weekend. Me without make-up does not feel like me. 
More and more I am getting used to wear my fresh face to go places – which makes the boyfriend proud. Not that he has any issue with me wearing make-up whatsoever but he says I should leave my skin to breathe more often.
I am not used to go to work without make-up. It happened today because I left the bloody wonder bag at home. For moments (around an hour or so) I felt like my day was ruined. I felt the urge to go back home to grab my make-up bag even if that meant arriving half an hour late (ridiculous, I know). I felt anger inside and that I looked ugly AF.
After all this shit thoughts running through my mind, I finally realised – and I blame yoga for this – ‘fuck it, who cares if I don’t have make-up? I am more than blush and lipstick, I am a human being that is worth taking care off, and I am happy where I am now, that has to be a good look!’. At the same time, my mum texted me saying “Don’t worry, wear your biggest smile and you’ll look great!”
Since last week, I’ve started practising yoga again and I’ve started having a different view of life, more positive thoughts. I am not letting the little things that would spoil my day to do so, if they are not that big of a deal.
I am beautiful as I am, I am a wonderful creature and my smile is more than a blush and concealer and fancy lipstick. So are you.
All of you!
PS- Big thanks to my bff that tried to calm me down! 🙂

up to date.

tumblr_p39gvwiouq1wxt7gqo1_1280

Nossa. Há quanto tempo não aparecia eu por aqui?

Eu pensei em escrever um post de ano novo, acerca das resoluções – e a chachada que  são – e sobre outras coisas, mas acontece-me o que é habitual… a inspiração não vem assim com tanta felicidade. Tirando hoje, parece que fui atacada pelo trovão da inspiração (e consegui preparar alguns posts, whoooop!).

Vou contar-vos o que tenho andado a fazer nos últimos tempos. Para começar: o ano está a correr lindamente até agora. Eu tenho mantido o contacto mais próximo com os meus amigos, tentar estar mais presente. Comecei o meu trabalho novo e estou a adorar – YAY! Estou a comer menos porcaria e a beber menos Coca-Cola. AH! Tenho feito exercício 4x por semana. Tenho uma tatuagem nova que já queria ter feito há imenso tempo (aconteceu ontem, por isso é que ainda estou super entusiasmada e quero dizer a todo o Mundo).

Comecei a ler um livro, que venho falar-vos em breve porque estou completamente apaixonada. Não celebrei o dia dos Namorados porque não sou fã e continuo a amar o meu namorado, sim. Ainda é inverno em Londres, tem chovido todos os dias e a temperatura máxima desta semana é entre os 7 e 8 graus – não, não é fixe.

E acho que é tudo, até à data. Estou bem e recomenda-se 🙂
Espero que tenham todos uma semana fantástica!

My oh my, it has been a while for sure.

I thought about writing a post about the new years resolutions – and how bullshit they really here – and so many other topics, but the same happens (quite often I would say), the inspiration does not come on easily. Just today, looks like I’ve been hit by the inspirational thunderbolt. (I have also managed to get some posts prepared, so happy days!)

Let me tell you what I’ve been up to. For starters, the new year is going very good so far.
I have been more in contact with my friends, trying to be a little closer. I have started my new job and I am loving it – YAY! I am eating less crap than I was AND drinking less coke. AH! I’ve been exercising 4 days a week. I’ve got a new tattoo that I wanted to get done for ages now (it actually happened yesterday, so I’m still very excited about it and want to tell the world).

Also I am reading a book that soon I will be sharing with you guys as I am loving it too much. I didn’t celebrate Valentine’s day because I’m not a fan of it AND I am still very much in love with my boyfriend. It’s still winter in London, it rains pretty much everyday and this week’s highest temperature will be something between 7 or 8 degrees -nay, not cool.

I think this is about it, for a February update really.
Hope you all have a lovely week!

post-Christmas

Alooo! Como vai esse Natal?
Para alguns de vocês podem dizer que já acabou, mas para mim é difícil descartar o Natal. É quase tão teimoso como as gordurinhas que vêm com ele e se alojam na minha anca.
Eu adorei o meu natal, foi tão bonito! Adorei toda a comida que enfardei, as bebidas, a companhia e os presentes.
O que eu não estou a adorar é o facto de estar-vos a escrever do meu trabalho. Somos apenas dois a trabalhar hoje e já não sabemos para que lado nos viramos com tanto aborrecimento, haha.
Ninguém merece vir trabalhar do 27 ao 29 de Dezembro. Qual é a lógica?

Hiya! How is that Christmas going?
Some of you would say it’s over already, but I take a while to take it out of my system. It is nearly as stubborn to leave as the fat in my bum.
I absolutely loved my Christmas, was amaze-balls! Loved all the foods, and drinks, and company and gifts. 
However, I am not loving that I am writing this post from work. Is just me and another colleague and we literally don’t know what else to do with our lives, haha.
No one deserves to be in between 27th to 29th of December. What’s the point?

mid-year update

large-3

Quando olho para a barra lateral e me apercebo que o meu post mais recente foi em Abril, deixa-me triste… nossa!
Se és seguidor há algum tempo, já deves saber que eu sou assim. Eu vou por fases – mas quem nunca? Acho que quando não se vive do blog, é normal passar-se por períodos de pouca inspiração aliada à falta de tempo para escrever.
Mas aqui estou eu, para dizer-vos que eu vivo de contagens decrescentes!
Nem sempre é fácil pensar positivo, ver a luz ao fundo do túnel ou, quando os dias se tornam monótonos, ver que há algo para ser feliz. Para mim as contagens decrescentes, sejam lá para o que for deixam-me extremamente feliz!
Os meus amigos dizem-me que eu fico contente com as pequenas coisas e que sou fácil de contentar.
Eu conto as horas para AQUELE jantar, conto os dias para uma festa e as semanas para as minhas próximas férias.
Nada me faz mais feliz. Quem é que me compreende?
As minhas próximas férias são no início de outubro. Vou levar o namorado a Amesterdão, já que ele nunca lá foi. #cantwait
E vocês, quais são as próximas viagens?

When I look at my Recently (the side bar, standing here on the left) it makes me sad that last time I’ve written was back in April, gosh.
If you’re a follower for a while, you must know this is me. I go through phases – doesn’t anyone that does not own a blog for a living? – is not finding the time or the inspiration but a combination of both.
And… here I am. Today I tell you that I live for countdowns.
Is not always easy to think positive, see the light when all days look the same and you wonder if there’s anything out there for you to be happy. So for me, there’s the countdowns!
My friends tell me I get excited with the tiniest things and that I am easy to please. All of it is very true.
But one thing that makes me extremely happy is a good countdown for an upcoming event. It can be counting the hours for THAT dinner this weekend, counting the days for a party or counting the weeks for my next holiday.
Nothing makes me happier. Can you relate?
My next holiday is in the beginning of October, where I am taking the boy to Amsterdam for his first time there. #cantwait
Where are you guys off next?

do more of what makes you happy

Acerca dos dias de sol e da boa disposição, voltei!
Venho partilhar a nova maravilha que estou a ler, o livro Happy da Fearne Cotton. Estou a adorar. Já a acompanho praticamente desde que vim para cá viver. Sempre gostei do seu estilo irreverente mas, mais do que isso, a sua boa vibe é contagiante. Ela foi locutora de rádio e  uma óptima companhia nos meus primeiros anos aqui.
Basicamente o livro fala de como aproveitar as pequenas coisas da vida. Parar um bocadinho, inspirar fundo, olhar à nossa volta e sentir os cheiros.
Acabei de passar o fim-de-semana em casa e este livro fez ainda mais sentido. Desde ver os sorrisos das pessoas, a sentir os raios do sol a penetrar a minha pele, aquela sensação perfeita do calor.
Aproveitar uma bebida bem feita, agridoce, com amigos fantásticos. Rir com vontade, vindo de dentro. O amor e conforto dos meus pais, do meu cordão umbilical, faz me feliz!
E a ti? O que te faz despertar a felicidade?

                                                                             

I’m back, loving these sunny days and happy vibes all around!
I’m coming to share my newest book discovery. I’m currently reading Happy by Fearne Cotton, and it’s great so far. I follow Fearne since my first weeks when I moved here (London). Always loved her irreverent style and her good vibes. Always felt that her happiness is contagious.
If you don’t know her, she used to be a radio DJ and it was great company to me.
The book is about enjoying the little things in life. To stop for a second, take a deep breathe, look around you and smell.
I’ve just been home for a weekend, and the this book just made even more sense. From watching people simply smiling, feeling the sunshine on my skin, the perfect warmth. Enjoying a good drink, sweet but sour, with lovely friends. Laughing out loud, from the inside out. The love and comfort of my parents. It keeps me happy.
What about you? What triggers your happiness button?
Screen Shot 2017-04-17 at 4.22.13 pm