when life happens…

large2

Há um ano atrás eu conhecia apenas a Europa. Hoje eu conheço também a América e a Ásia. Quem sabe até ao fim do ano não chego a visitar o Dubai ou o Vietname.

Há um ano atrás estava nervosa para aquela que seria a primeira grande viagem da minha vida. Grande em termos de distância e de duração, e eu não sendo nada fã de aviões. Fui em trabalho à Índia, representar a minha empresa. Na altura, lembro-me de não ter muito a ideia de querer viajar e conhecer o Mundo. Mas foi aquela viagem que me abriu os olhos – literalmente. Fez-me ver que há mais para além daquele que eu chamava o meu universo.

A minha bolha rebentou e eu desmoronei. Não foi fácil e ainda é todo um processo de recuperação do trauma, MAS eu provei a mim mesma que consigo. Eu valho muito mais do que qualquer pessoa possa ver por fora. Eu sou muito mais hoje do que alguma vez fui há um ano atrás.

Eu cresci muito. Se pudesse, não tinha passado pelo que passei. Só que me fez ver que não podemos ter a nossa vida como garantida. O dia-a-dia que conhecemos hoje, amanhã pode não estar ali, pode cair o chão e fechar-se o pano da cortina de repente. E o que eu quero é chegar ao fim e pensar “Eu não poderia ter feito melhor!”.

A luz ao fundo do túnel está lá, mais ou menos apagada, mas eu prometo que a vão ver. Se chegou para mim também chega para vocês.

PS.- Um grande obrigada a quem esteve aí para os momentos críticos. Agora o sol brilha em mim com mais frequência e os sorrisos são cada vez mais verdadeiros.

(Continua…)

~EN~

One year ago I only knew Europe. Today I have visited the U.S. and Asia. And, by the end of the year I may actually go to Vietnam or Dubai.

One year ago I was pretty nervous for my first big trip. It was a massive thing to me as it was my first long haul flight and I was never a fan of flying. I went to work in India to represent my company. By that time I remember that I did not have the ambition of travelling and that wanderlust. But this was definitely a journey that opened my eyes – quite literally. It made me realise that there was so much more than what I knew in my little bubble.

So that bubble burst and I fell – face down. It wasn’t easy but I proved myself that I can do it. I am worth so much more than anyone can see and I am so much more today than I was a year ago.

I’ve grown up so much. Obviously, if I could I wouldn’t chose to go through all that pain. Though it made me see that we cannot take the good things for granted.  The daily routine we know today, may not be here tomorrow, the sky can fall suddenly. I wanna arrive to the finish line and think ‘I couldn’t have done better!’.

There is always a light at the end of the tunnel, shining brighter or a bit dim, but I promise you it’s there. If I found it, anyone can.

(to be continued…)

PS.- I would like to thank everyone that helped me through the toughest times. Now the sun is shining more often and my smiles are absolutely genuine.

 

Advertisements

EU Referendum & the BREXIT

eu-flag-e1456404842893Então basicamente eu não pesco muito destas coisas de política MAS, revolta-me bastante que as pessoas às vezes não meçam as palavras que deitam da boca para fora em relação aos seus ideais políticos.

Coloquei uma fotografia no Facebook, no dia do EU Referendum – Quinta dia 23 de Junho – com uns folhetos que me deram na entrada do metro a dizer “Vote para ficar”. Ou seja, para o Reino Unido permanecer na União Europeia. Fui atacada quase de imediato por alguém que me disse que já chega de “dar mama”, leia-se sustentar, o estilo de vida relaxado dos europeus.

Irritou-me porque eu sou europeia e não considero que tenha uma vida relaxada, vádia ou nas calmas. Aliás, trabalho no duro neste país, que não é o meu mas que me aceitou como se eu fosse uma londrina de gema. Nunca pensei crescer tanto com várias das situações que já passei por cá. Nada disto seria possível se o Reino Unido não pertencesse à União Europeia. Provavelmente não me daria ao trabalho de fazer a aplicação para um Visto para vir viver o meu sonho.

Agora ninguém sabe daqui para a frente… É o “calma vai tudo correr bem” sem qualquer ponta de certeza.

~EN~

So basically I am not really into politics BUT it does get on my nerves that some people don’t have a filter when it comes to defend their beliefs in politics.

I posted a picture on my Facebook profile, on Thursday 23rd of June (EU Referendum day) with some leaflets given to me in the tube, saying to VOTE IN. Which means for Britain to stay in the European Union. Immediately I got a pretty straight forward answer from someone saying “VOTE OUT, enough of supporting European easy lifestyles”.

It made me mad because I am european and I don’t have a relaxed, lazy or easy life in here. Furthermore, I work hard in this country that is not mine  but that accepted me as if I was a born londoner. I never thought I would grow so much in the past years I lived here. And none of this would be possible if Britain didn’t belong to the EU. Probably I wouldn’t try to apply to a Visa to come and live my dream.

So now it’s all “wait and see” and no one knows what’s really going on.

 

about breakfast

large

Toda eu sou feita de um bom pequeno-almoço.
Não há volta a dar. Gosto dos simples, dos complexos, dos com muita variedade e dos “nada a ver”.
Gosto dos fins de semana, de acordar antes do meio dia (mas depois das 11h) e fazer super pequeno-almoço com abacate, cogumelos com espinafres temperados com pimenta preta, tomate, tosta com queijo e ovo.
Também gosto do tradicional iogurte com aveia e mirtilhos ou framboesas.
E o clássico antes de ir trabalhar: tosta com queijo, tomate e manjericão. Nada bate tal delícia.

Há uns dias atrás, a meio de um jantar de amigos, perguntaram-me qual era a minha especialidade na cozinha. A conversa já tinha saltitado entre assados no forno, lasanhas e outras proezas, e eu sem saber o que responder. Desculpei-me com o facto de não ter muita paciência para cozinhar (verdade verdadinha) e cozinho porque tenho que comer.
Depois, lembrei-me e disse “JÁ SEI, são os pequenos-almoços”.

E quando a companhia é boa, é meio caminho andado para o sucesso de um bom pequeno-almoço. Nem que seja a minha.

PS.- Faça favor não esquecer de acompanhar com um café quente.

~ English ~

I was born to eat breakfast. I feel that is my aim in life. That’s it.
I love the quick ones, the english one, continental and the ones that don’t match.
I love to wake up late in a weekend and have an amazing breakfast with avocado, mushrooms with spinach, tomatoes, toast with cheese and eggs.
I still enjoy the simple breakfast of yogurt with oats and blackberries or raspberries.
And an everyday classic: toast with cheese, tomatoes and basil. Just p-e-r-f-e-c-t.

A few days ago, while having dinner with friends, one of them asked me what was my signature dish. One of them said his was lasanha, another one a stew, another one a roast, and I still didn’t know what to answer back. I replied saying that I am not very good at cooking – no lie – and I only cook because I need to eat, otherwise… Afterwards I just clicked ‘I KNOW! Breakfasts’.

What’s better than a breakfast in good company? Worst case scenario, I’ll keep myself company and that’s sxill pretty good.

PS.- Please do not forget to have a hot coffee with it.

1 out of…

tumblr_mnddg1sxfn1r7n4ueo1_500Bom dia pessoas e bem vindos ao meu cantinho.

Acho que se calhar devia começar por me apresentar.
O meu nome é Ana e tenho 26 anos. Nasci em Portugal, na ilha da Madeira – conhecida como a Pérola do Atlântico – e mudei-me para Londres em 2011, daí que me considero um bocadinho londrina também. Tenho a certeza que me ficarão a conhecer melhor se acompanharem o blog.

Durante 6 anos tive outro blog (chamado A Policromia), mas sinto que faz parte duma vida passada e quero começar do zero com este.

Gostava de agradecer aos meus seguidores que vieram do anterior blog e dar-vos o maior bem haja! Obrigada por se manterem fieis, significa bastante para mim.

Fiquem por aí!
~ English ~
Good morning and welcome to my blog!

I suppose I should start by introducing myself.
My name is Ana and I am 26. I was born in Portugal, on the Island of Madeira – usually referenced as the Pearl of the Atlantic – and moved to London in 2011, so I consider myself kind of a Londoner too. I am sure you will get to know me better as you come along.

I used to have another blog for 6 years (entitled A Policromia), but I feel that it forms part of my previous life now and I want to make a fresh start with this one.

I would like to thank to the followers that came from A Policromia and the warmest welcome to this page! Thank you for not staying loyal, it does mean a lot.

Stay tuned!