How to nail job interviews?

Screenshot 2019-05-06 at 10.14.48 am

I’m no expert here, don’t be fooled. But, as I’ve said here and here, I’ve had quite an experience with job interviews. To be precise, I’ve been to nearly 15 of them during this 2-month never ending period.

Today I bring you some tips that helped me out when answering questions, how to follow up and much more. They’ve turned out to be extremely effective in my case as I’ve been offered 3 jobs – I must have done something right.

I love creating excel sheets to organize my life, so these came in handy when I was planning my job search. On my excel sheet I had written down the company name, what type of job I was going for in there, what was my first impressions, salary and then how I felt the interview went, feedback from them, next steps and a “when to follow up” date.

Still on the excel sheets, it was very helpful to create a pros and cons list when I got offered a couple of (completely) different positions that I was pretty much torn about. I’ve listed down: type of company (big, small, start-up, international, etc), salary, location, reviews on Glassdoor. 

You can never be “too prepared” for an interview, so do all the research you can! Not only looking up the company website, but also check the news section on Google and type their names, look them up on Instagram and Twitter to see what they are likely to share. This will give you a better inside of what’s the company like. Better safe than sorry!

Always (and I mean ALWAYS) follow up. If you’ve applied for a job you really want, and it has been 2-weeks and you haven’t heard from them, drop that HR department an email. After an interview ALWAYS follow up with an e-mail “It was lovely to meet you today, I look forward to hearing from you” – it’s proved that recruiters are more likely to hire you when you follow up!

Also, when you have a negative response, always reply. Do not leave that black cloud raining on your inbox. Reply, archive and move on. Be nice: “Thank you very much for your quick response, I’d like to thank you for taking the time to getting to know me and going through my interests and aptitudes.”

Let me know if you’d like any more tips on a particular topic and I’ll be happy to help 🙂 I’ll see you soon!

🇵🇹

Não estou a dizer que sou uma expert em entrevistas, não se deixem enganar. Mas, como disse aqui e aqui, ganhei alguma experiência com entrevistas de emprego. Para ser mais precisa, fui a quase 15 entrevistas durante este longo período de 2 meses. 

Hoje trago-vos algumas dias que foram uma ajuda preciosa a preparar as minhas respostas, como “pedir feedback”, etc. Dado que me foram oferecidas 3 posições, eu considero que estas dicas ajudaram – alguma coisa devo ter feito bem.

Eu adoro criar páginas de excel para organizar a minha vida, e estas foram extremamente úteis quando estava a planear a minha procura de trabalho. Na folha de excel escrevi o nome da empresa, o tipo de trabalho que estava à procura, quais foram as minhas primeiras impressões, o salário e posteriormente o que senti pós-entrevista, o feedback da empresa, quando fazer follow up e os próximos passos.

Ainda no tema das folhas de excel, criei uma lista de pontos a favor e contra. Foi uma ajuda preciosa, dado que me foram oferecidas posições (completamente) diferentes e estava bastante dividida. Eu listei: tipo de empresa (grande, pequena, start-up, internacional, etc), salário, localização, opiniões no Glassdoor*.

Nunca se está “demasiado preparado” para uma entrevista, por isso façam bem a vossa pesquisa! Não só visitem o website da empresa, mas também a secção de notícias do Google, procurem pela empresa, e pesquisem também as suas páginas do Twitter e Instagram para verem quais são os tipos de interesses que têm. Esta dica vai dar-vos uma melhor ideia de como a empresa funciona. É melhor prevenir do que remediar!

Sempre (e eu quero mesmo dizer SEMPRE) façam o acompanhamento (follow-up). Se se candidataram a um trabalho que querem mesmo e já passaram duas semanas desde o último contacto, mandem um email para o departamento de recursos humanos a pedir um update. Depois duma entrevista, enviem SEMPRE um email “Gostava de lhe agradecer pela reunião de hoje, estou agradecida por tê-la conhecido e fico atentamente à espera da sua decisão em relação à minha candidatura.” – Está comprovado que é mais provável os recursos humanos contratarem alguém que tenha enviado um e-mail após uma entrevista!

É também importante enviar um email de acompanhamento após uma rejeição. Não deixem essa nuvem negra a chover na vossa caixa de entrada. Respondam, arquivem e bola pra frente. Sejam simpáticos:  “Obrigada por ter dispensado o seu tempo para rever a minha candidatura e discutir comigo os meus interesses.”

O que acharam? Se quiserem mais dicas acerca de algum tema específico, digam-me e terei todo o gosto em ajudar 🙂 até à próxima!

*não tenho a certeza se o Glassdoor funciona em Portugal, mas no UK é um site/app onde se podem publicar opiniões acerca duma empresa onde já trabalhamos e é uma ajuda incrível na procura!

Advertisements

Effective job hunting

Screenshot 2019-04-10 at 1.04.09 pm

If you are still employed while looking for your next move, then lucky you! It always happened to me until very recently. I was unemployed and looking for my next career challenge, my next adventure!

Below I am leaving you with some tips that helped me out a lot and they’d probably work for you too:

  • Brainstorm – with friends, with partners, yourself. Yes, I have been speaking to myself during these last 2 months and it helped me to organise my ideas and see clearly. It was a powerful tool to figure out exactly what you want, what jobs you’d like to go for and what you’d see yourself doing. Imagine;
  • Organising thoughts and ideas – after having some insight on what you’re looking for is time to think this through (or in my case make lists – so helpful!). I’ve had a super broad choice and I had to categorize my thoughts. I have made a list for each day. Because I would like to go for different roles like Team Leader, Community Manager, Customer Success, and because there were a lot of companies I was interested in working for I had to be proactive. See example:
      • Monday: look for Team Leader jobs – anything from Indeed to Monster, LinkedIn to Reed.
      • Tuesday: look for Community Manager jobs – same platforms
      • Wednesday: look for startup companies and check their openings;
  • Network – I can’t stress how important is this topic – I would take one day a week just to network. I used to go through my WhatsApp conversations, LinkedIn contacts, anyone I could ask for a recommendation, suggestion or speak. Also, LinkedIn was an awesome tool for me as I’ve used it to approach CEO’s of companies I’d like to work for and ask if they had any openings (when their website didn’t have this info displayed);
  • Avoid procrastinating – it’s so easy to lose focus in the middle of job hunting online. You are connected, you receive notifications, how not to?! It can easily lead to a snowball effect where you are more on webwhatsapp and checking out instagram than actually looking for a job! So, what worked for me was  checking social media for breakfast, lunch and during breaks (but just make sure that the balance is greater in searching rather than scrolling 🙂 );
  • Don’t be so hard on yourself – having said that about procrastinating, it’s ok to read a book or go to the gym for a couple of hours a day. And that will help your mental health and will keep you going strong. You need to disconnect, otherwise to be indoors and focus will drive you mad! I used to have a tendency to panic every time I went to the gym because it was less 2 hours of job hunting, BUT trust me it did help loads.

And this is all for today because I didn’t want to bore you with my tips. I hope you find this useful  let me know your thoughts!

🇵🇹

Se estão à procura do próximo desafio profissional enquanto ainda trabalham, sorte a vossa! Foi assim que aconteceu comigo até há bem pouco tempo. Desta vez, estive desempregada em busca minha próxima aventura!

Vou deixar-vos com algumas dicas que me ajudaram bastante e provavelmente poderão também fazer uso delas:

  • Brainstorm – com amigos, com parceiros, com vós mesmos. Eu tenho falado imenso comigo nestes últimos 2 meses e tem-me ajudado a organizar as minhas ideias. Na minha opinião, é uma estratégia fantástica para perceber exactamente o queria fazer e o tipo de funções que me via a desempenhar. Não se limitem a pensar apenas nas vossas competências, mas também naquilo que gostavam mesmo de fazer!;
  • Organizar as ideias – depois de ter todas as ideias “em cima da mesa” é hora de organizar, planear (ou no meu caso, fazer listinhas – para mim, uma ajuda preciosa). Tinha imensas posições às quais gostava de me candidatar, nomeadamente Chefe de Equipa, Community Manager, Gestora de Clientes e, porque haviam imensas empresas para as quais gostava de trabalhar, tive que traçar um plano semanal! Vejam o exemplo:
      • Segunda-feira: procurar trabalhos como Chefe de Equipa – no LinkedIn e em todos os motores de busca que se usam em Londres (Monster, Reed, Indeed)
      • Terça-feira: procurar trabalhos como Community Manager
      • Quarta-feria: procurar empresas startup e ver as posições que têm disponíveis;
  • Network – esta foi provavelmente a revelação da minha procura de trabalho. Todas as semanas dedicava também um dia só para networking, comunicar com pessoas que eu acreditava que me podiam ajudar a encontrar a minha próxima oportunidade. Outra opção que também resultou para mim foi pensar em empresas para as quais eu gostaria de trabalhar e contactar directamente o Director ou o departamento de Recursos Humanos e perguntar por posições disponíveis (caso estas não estivessem especificadas no website); 
  • Evitem a procrastinação – é demasiado fácil perdermos o foco quando se está à procura de trabalho online. É normal, estamos conectados, recebemos notificações, como é possível não perder a concentração?! E muito rápido pode tornar-se num efeito bola de neve em que se passa mais tempo no Facebook e no Instagram do que propriamente à procura dum trabalho. Portanto, o que funcionou para mim foi aceder às redes sociais ao pequeno almoço, almoço e durante intervalos (mas tentem fazer um balanço em que passam mais tempo à procura do que a fazer breaks 🙂 );
  • Não sejam demasiado críticos com vocês mesmos – depois da lição de moral anterior, venho frisar que também é bom parar um bocadinho, ler um livro, passear ou ir ao ginásio um par de horas por dia. Vai ajudar-vos a manter a vossa sanidade mental e tornar-vos mais fortes e focados. Precisam de desligar porque ficar dentro de casa focados no portátil vai levar-vos à loucura! Eu tinha uma tendência para panicar quando queria ir ao ginásio porque eram menos 2 horas que eu estava a ser produtiva MAS ajudou-me bastante.

E é tudo por agora porque não vos quero entediar com as minhas dicas. Espero que lhes façam uso  e digam-me o que acham!

c h a n g e

Hello you and you too!

Welcome to the renewed blog.
If you’ve been around for a while you may have noticed that I’ve changed the colours around. It is the first time that I’m doing (nearly) everything on my own, so it might not be perfect but… IT’S MINE! 🙂 – thanks to Bartosz for the precious help with the profile pic!
(Also, it may not look like anything special to you but it took a lot of hard work to get here.)

I don’t really know where to start but I got news! I’ve got a new job ⭐
I would like to share the experience of being unemployed at 29 and all the up and downs I’ve encountered during this journey. I am not, in no way, shape or form, a lifestyle influencer (instead of a fashion or beauty, are you following?!)  but I got to admit that I’ve gained some experience with all the interviews I’ve attended and became a pro on sudden mood swings.

It’s quite natural for humans to feel threatened by change. It’s when you think you got you’re life sorted and then someone changes the plans. We spend our whole lives creating habits and routine in order to make it easier to proceed with the most mundane tasks. Suddenly, it all changes. And now what?

In Portugal we say: First it amazes you, then it gets into your veins” (Fernando Pessoa). 
It was nearly 2 months of an extensive and intensive search. A lot of days where I woke up with the biggest dreams and then I’d watch them being crushed by the end of the day. But it also was a lot of frustrating days and a lot of good things happening at the same time.
So I just want to share that I’m ok, very very happy and the following posts (besides having to post about Bali – I love that my travel posts are always released a year after the journey, but who’s counting?!) I will be giving you tips on how to search effectively and being productive during your job haunt and will try to help one of you in a time of need.

Stay tuned for the next chapter… 🙂

🇵🇹

Oláááá! Bem vindos ao blog renovado.

Se já estão por aqui há algum tempo devem ter reparado que mudei as cores do blog. E é a primeira vez que fiz (quase) tudo sozinha, por isso pode não estar perfeito mas… É MEU 🙂 – obrigada ao Bartosz pela ajuda preciosa com a foto de perfil!
(E eu sei que pode não parecer nada de especial mas levou imenso tempo a preparar e imensas tentativas até chegarmos aqui.)

Eu não sei bem por onde começar mas tenho novidades! Tenho um trabalho novo ⭐
Quero partilhar convosco a minha experiência de estar desempregada aos 29 anos e pelos altos e baixos que passei. Não me considero, de maneira alguma, uma influencer de lifestyle (em vez de ser de moda, tão a ver?!), mas devo admitir que ganhei alguma prática com a quantidade de vezes que fui entrevistada e tornei-me pro em mudanças de humor repentinas.

É natural o ser humano sentir-se ameaçado com a mudança, o tirar do tapete debaixo dos pés. É contra-natura. Passa-se a vida a criar hábitos e rotinas para lidarmos mais facilmente com as tarefas mundanas para de repente BOOM vira tudo do avesso. E agora?

Primeiro estranha-se. Depois entranha-se“, já dizia o outro.
Foram quase dois meses, de uma extensa procura. Foram muitos dias de acordar cheia de sonhos e de vê-los esborrachados passados pouco tempo, mas também foram dias de desespero e de muitas coisas boas a acontecerem simultaneamente.
Só quero partilhar que estou bem, muito muito feliz e que nos próximos posts (para além  de ter que vos falar de Bali – estes posts com 1 ano de atraso, mas também who cares?!) vou dar dicas de como ser mais produtiva e eficiente na procura de trabalho e quem sabe ajudar alguém em horas de desespero.

Não percam as cenas do próximo episódio… 🙂